FUNDAÇÃO VODAFONE E AUTARQUIA APOIAM TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO DA CERCICA

A CERCICA (Cooperativa para a Educação e Reabilitação de Cidadãos Inadaptados de Cascais) inaugurou, no passado dia 16 de Fevereiro, o novo pólo de formação em Tecnologias de Informação e Comunicação, com o objectivo de combater a infoexclusão das pessoas com deficiências e incapacidades.

O novo Centro de Recursos TI para a Inclusão foi criado em parceria com a Fundação Vodafone Portugal e com a Câmara de Cascais e está equipado com a mais moderna tecnologia, adaptada a várias incapacidades. Vai estar aberto não só aos cerca de 200 alunos da CERCICA mas também a um conjunto alargado de professores, formadores, monitores e a toda a comunidade no sentido de potenciar as excelentes oportunidades que as Tecnologias de Informação proporcionam para aumentar a autonomia pessoal do cidadão com deficiência.

Pedro Alarcão, presidente da CERCICA, disse que “com este novo projecto vamos aumentar aos nossos serviços e capacidades as mais diversas pessoas com deficiência e profissionais que com elas trabalham. Todas as pessoas do concelho poderão também usar este centro”. A Fundação Vodafone Portugal ofereceu todo o equipamento informático e disponibilizou os seus colaboradores para a montagem da tecnologia, enquanto a Câmara de Cascais financiou a adaptação do edifício.

António Carrapatoso, presidente da Fundação Vodafone Portugal, realçou a satisfação pelo envolvimento neste projecto. “Nós não damos apenas um cheque, procuramos também estabelecer parcerias com as instituições porque há muito a aprender”.

Carlos Carreiras, presidente da Câmara de Cascais, frisou a importância da Internet nos tempos que correm: “Está tudo na Internet mas nem todos estão na Internet. Na Internet criou-se liberdade, conhecimento e oportunidades para muitos. Mas outros foram deixados fora do futuro. Hoje, na CERCICA, com a inauguração de uma sala dedicada às Tecnologias de Informação, demos um grande passo para derrubarmos os muros do preconceito e da exclusão. Ligámos mais cidadãos em rede dando-lhes a oportunidade de criar novos laços e descobrir novos mundos. À Vodafone Portugal agradeço o apoio à Cercica que, juntamente com a Câmara de Cascais, contribuiu para ligar mais cidadãos como nós a este nosso mundo global”.

O centro funcionará numa sala de formação com equipamento informático e periféricos adaptados a problemas neuromotores, cognitivos e visuais e com software específico de comunicação facilitador da utilização dos equipamentos por todas as pessoas com deficiências e incapacidades.

Francisco Lourenço