Centro de Reabilitação Profissional de Alcoitão abre portas à comunidade

Centro de Reabilitação Profissional de Alcoitão abre portas à comunidade

Alcoitão divulga oferta formativa.

Divulgar o que de melhor se faz na área de formação profissional é o principal objectivo da Semana Aberta do Centro de Reabilitação Profissional de Alcoitão (CRPA), que arrancou esta terça-feira (prolongando-se até sexta-feira), e contou com a presença do secretário de Estado do Emprego, Pedro Martins, do vereador da Câmara de Cascais, Nuno Piteira Lopes, do presidente do Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP), Octávio Oliveira, e do delegado do IEFP de Lisboa e Vale do Tejo, Victor Gil.
Contribuir para melhorar a qualificação das pessoas, com deficiência ou não, de modo a dotá-las de competências para entrar no mercado de trabalho é o que propõe o CRPA, frisou a directora Luz Pessoa Costa, que lembrou que a instituição nasceu em 1969 para atender pessoas com deficiência motora adquiridas na guerra ou em acidentes, mas com o evoluir dos tempos se tornou uma referência na formação profissional. “Até 2003, a oferta formativa do CRPA inseria-se exclusivamente numa metodologia de intervenção ajustada ao público com deficiência. No início de 2004, sofreu uma alteração bastante profunda. Inicia-se a formação de utentes com e sem deficiência, numa definição clara de uma política de inclusão para formação e a reabilitação profissional”.
Educação e formação são os pilares em que assenta a actividade do CRPA, cuja oferta formativa abrange as áreas de “electricista de instalações, cabeleireiro, manicura, hotelaria, informática, jardinagem e carpintaria, entre várias outras”, sublinhou aquela responsável, destacando que “tentamos sempre corresponder às necessidades de trabalho da região onde estamos inseridos”. “Vamos da formação base até ao empreendedorismo”, frisou a directota do CRPA.
Luz Pessoa Costa salientou ainda que “os homens e mulheres que temos aqui passaram por processos de selecção e ficaram os que mais se esforçaram para continuar. Alguns ficaram pelo caminho. É preciso coragem e espírito de sacrifício. Somos um serviço público de emprego e estamos ao vosso dispor. Temos instalações, equipamento e conhecimento. É isso que vão ver”, disse.
Na sessão de abertura do evento, Victor Gil salientou a importância da Semana Aberta para “dar conhecimento do que de bom se faz nos centros de formação profissional”, enquanto Octávio Oliveira destacou que “a formação profissional é uma acção preparatória do futuro” e lançou um desafio às empresas para apostarem nos formandos e na formação.