‘Um grito de esperança’

Padre Avelino Alves promove 5.º Compasso Motard.

Pelo quinto ano consecutivo, no domingo de Páscoa, o padre Avelino Alves ‘anunciou a Ressurreição de Cristo’ em cima de duas rodas, em mais uma edição do Compasso Motard que uniu as paróquias de Pero Pinheiro e de Montelavar. Este ano, os ‘motards’ voltaram a percorrer as localidades das duas freguesias, mas estenderam a ‘Palavra do Senhor’ a Algueirão-Mem Martins e Almargem do Bispo, num percurso que terminou em pleno Largo da Igreja de Montelavar.

Como acontece desde 2008, o Compasso Motard surge como "um grito" para que todos aqueles que o vêem passar, "não se deixem esmagar pela cruz da vida e façam da sua vida uma ressurreição". Uma mensagem de esperança, como adiantou o padre Avelino ao JR, "perante a crise mundial, nacional e, sobretudo, local, onde 90% das empresas fecharam ou estão a fechar, o aumento do desemprego, o que provoca um grande desespero". "O nosso objectivo é dizer a esta gente que não desespere, que ainda há esperança, que não desanime, e, também, chamar a atenção dos nossos governantes para estes problemas sociais", sublinhou o pároco, o grande impulsionador deste Compasso Motard que reúne, além de ‘motards’ a título individual, membros do Grupo Motard de Morelena e do Club Motard Bip Bip (Anços).

Com o agudizar da crise, que tem afligido a indústria da pedra de forma acentuada, com o encerramento de inúmeras fábricas de transformação de rochas ornamentais, a Igreja tem sido um porto de abrigo da região. "Há lágrimas, dor, falências, desemprego, dívidas, mas, mesmo assim, a alma tem de ser mais forte", alerta o padre, que caracteriza ainda o Compasso Motard como uma provocação contra um mundo indiferente. "Com o nosso barulho, o nosso ruído, a nossa presença, vamos acordar essa gente porque, hoje em dia, vivemos numa sociedade resignada e indiferente", frisou o padre Avelino Alves, para quem estamos perante também "uma festa de juventude, de liberdade e um convívio salutar". Para o ano, garantiu o pároco, vamos ter o 6.º Compasso Motard. "Não paramos...".

João Carlos Sebastião

Compasso Motard