Agualva cria ‘Mercearia Solidária’

Junta de Freguesia identifica, semanalmente, dez novos casos de pedidos de ajuda.

Quando, no final de 2011, foi inaugurada a Loja Solidária, ficou desde logo expressa a vontade da Junta de Freguesia de Agualva ter também bens alimentares à disposição da população carenciada, por uma questão de higiene e até logística, tal não foi possível..

Nesta Primavera, com a cedência de um espaço no Mercado Municipal, o desejo concretizou-se e, a partir de agora, quem necessita realmente de ajuda, pode abastecer-se na Mercearia Solidária, recheando a despensa sem gastar o dinheiro que, efectivamente, não tem.

“Há vários anos que fazemos acções pontuais de entrega de comida, no Natal e na Páscoa, a cerca de 300 a 500 pessoas. Mas, a verdade é que quem tem fome precisa de comer todos os dias e não apenas em épocas especiais ”, revelou Rui Castelhano, presidente da Junta de Freguesia de Agualva, confidenciando que “ todas as semanas chegam à Junta dez casos novos de pessoas em dificuldade ”, vítimas, na grande maioria, do desemprego que continua a aumentar nesta época de crise em Portugal. O responsável autárquico lembrou ainda que “ a pobreza envergonhada existe ”, pelo que , "provavelmente, haverá muitas mais pessoas carenciadas do que as referenciadas ”.

Na Mercearia Solidária não se espera tanto a ajuda das pessoas a título individual, como na Loja em que qualquer pessoa pode entregar a roupa que não lhe serve ou os brinquedos que os miúdos já não querem, “ ainda que todas as ajudas sejam muito bem-vindas ”, salienta Rui Castelhano, mas neste caso “ é muito importante que as grandes superfícies tenham uma intervenção mais prática de maneira a que chegue a mais pessoas. Além disso, faço um apelo público para que os comerciantes sigam o exemplo ”, apelou, na apresentação do projecto, o presidente da Junta. A freguesia de Agualva abrange uma população de cerca de 35 mil pessoas e, caso seja necessário, a própria Junta não coloca de parte a hipótese de comparticipar também com alguns bens.

Herculano Silva, presidente da Probem e um dos munícipes que teve a iniciativa de criar a Loja Solidária na freguesia reforçou que “ talvez agora se imponha um novo esforço da cultura da solidariedade, na esperança de um amanhã menos penoso ”. A ideia passa, para Herculano Silva, em “ transformar esta cidade numa casa cada vez mais solidária. Num verdadeiro porto de abrigo ”.

Com um espaço físico no Mercado Municipal , que serve apenas de armazém dos bens, já que a distribuição é feita na própria Loja Solidária, a Mercearia Solidária vai apoiar muitas famílias, previamente identificadas pelos serviços da Junta de Freguesia de Agualva.

Ana Raquel Oliveira