Agualva cria zeladores de bairro

Ainda durante este mês, a freguesia de Agualva vai passar a ser percorrida por seis zeladores de bairro, cidadãos voluntários a quem compete alertar a Junta de Freguesia ou a PSP para situações anómalas no espaço público.
Criado pela Junta de Freguesia de Agualva, no âmbito do processo de Agenda Local 21, o projecto arranca com seis zeladores, a quem foi entregue um ‘kit’ para desempenharem as suas funções, que inclui um telemóvel, um colete e um cartão identificador.
A apresentação pública do projecto decorreu na passada quarta-feira, nas instalações da Junta de Freguesia, tendo os zeladores recebido ainda um mapa que identifica a área pela qual são responsáveis.
Para o presidente da Junta de Freguesia, este projecto incentiva a participação cívica dos moradores de Agualva. Rui Castelhano realça que, informalmente, já existe um conjunto de pessoas que alertam a Junta para "mil e umas coisas que se passam no espaço público". Agora, trata-se de criar uma figura que identifique as ocorrências e as reporte ao órgão autárquico e à força policial. "Os zeladores de bairro têm de estar atentos a tudo o que achem que não está bem, desde buracos na calçada ou na estrada, até um carro mal estacionado que perturbe muito a circulação, questões de ruído ou de iluminação", explica o autarca, que, em nome do executivo de Agualva, garante que tudo fará para que os alertas não caiam em ‘saco-roto’. "Mas, grande parte das não conformidades no espaço público nem são competências da Junta de Freguesia, mas assumimos um papel dinâmico de recepção e avaliação das ocorrências e, depois, encaminhamento e pressão junto das entidades próprias com vista à resolução das situações".