Alentejo vai ser primeira região do país a ter Observatório de Turismo Sustentável

O Alentejo vai ser a primeira região do país a ter um Observatório de Turismo Sustentável, para monitorizar a atividade turística e o impacto social e ambiental do setor, revelou o Turismo de Portugal.
 
"Para termos um turismo mais sustentável, claramente, temos que ter mais conhecimento daquilo que é o nosso impacto no terreno e na sociedade. Basicamente, é isto que o observatório vai fazer, a um nível regional", explicou hoje à agência Lusa o presidente do Turismo de Portugal, Luís Araújo.
 
O Turismo de Portugal, em comunicado, anunciou hoje que vai criar este Observatório de Turismo Sustentável do Alentejo, em parceria com a Entidade Regional de Turismo do Alentejo e Ribatejo, a Universidade de Évora, o Instituto Politécnico de Portalegre e o Instituto Politécnico de Santarém.
 
O memorando de entendimento para a concretização e avanço do projeto, entre os cinco parceiros, vai ser assinado esta quinta-feira, às 12:15, em Évora, no âmbito da Conferência Green Project Awards dedicada ao Turismo Sustentável.
 
Segundo Luís Araújo, trata-se de "um acordo muito feliz entre turismo e academia", que vai permitir ao Turismo de Portugal concretizar uma das medidas de sustentabilidade previstas na Estratégia Turismo 2027.
 
O observatório "é uma das medidas da Estratégia 2027 e faz parte daquilo que defendemos para a sustentabilidade do setor", indo também ao encontro da recomendação da Organização Mundial de Turismo (OMT) para a criação de "observatórios regionais que monitorizem e recolham informação sobre a atividade turística" e indiquem "de que maneira pode ser mais sustentável", disse.
 
"Sem sabermos como é que nos estamos a comportar, como é que a nossa empresa se está a comportar, numa perspetiva social e ambiental, dificilmente tomamos medidas para sermos mais competitivos e, principalmente, mais sustentáveis" e "esse é o grande objetivo deste observatório", frisou.
 
Para que o setor turístico possa ser mais sustentável, defendeu Luís Araújo, é preciso ter "mais conhecimento daquilo que é o impacto" desta atividade "no terreno e na sociedade", cabendo ao observatório medir esta "pegada" regional, ao nível "dos turistas, dos empreendimentos e das empresas".
 
"É ter o máximo de informação credível, não só sobre este setor, como sobre os seus impactos, aquelas que são as perceções dos turistas e dos residentes em relação ao turismo" e de que forma é que é possível "promover a região de uma maneira mais sustentada", canalizando "os fluxos turísticos de determinadas áreas para outras", precisou.
 
O Turismo de Portugal, argumentou, definiu "uma série de metas ambiciosas na Estratégia 2027, não só do ponto de vista social, como do ponto de vista ambiental" e este observatório "vai permitir uma monitorização muito mais premente" relativamente "ao atingir ou não dessas metas" e apontar caminhos "para corrigir determinadas atuações para alcançar esses objetivos".
 
Os cinco parceiros do Observatório de Turismo Sustentável do Alentejo ainda vão definir quando é que este "vai para o terreno", mas, este ano, já vão decorrer "algumas iniciativas" relacionadas com "a recolha de informação e aumento do conhecimento" sobre a atividade turística na região, admitiu o responsável.
 
"O Alentejo é a primeira região" a acolher este projeto, mas "um dos objetivos" do Turismo de Portugal "é criar um observatório em cada uma das regiões" do país, replicando este modelo, assumiu o presidente da entidade.