Almada nega dívidas à Amarsul

“Almada não deve nem um tostão à Amarsul”, afirma a presidente da Câmara de Almada confrontada com recente notícia em que deveria 271 mil euros a esta empresa detida em 51por cento pela Empresa Geral de Fomento, pública, e em 49 por cento pelos municípios. “Temos tudo pago a tempo e horas”, acrescenta Maria Emília de Sousa.

Segundo o relatório e contas de 2011 da Amarsul, os municípios da península de Setúbal fecharam o ano com dívidas de 17,8 milhões de euros a esta empresa responsável pela valorização e tratamento de resíduos sólidos. A dívida global terá assim aumentado comparativamente com 2010 em que foi de 10,6 milhões, sendo 16 milhões referentes a uma verba já vencida.

Segundo a Lusa, o município que fechou o ano com maior dívida foi Setúbal, com 7,2 milhões de euros, seguindo-se Seixal (2,9 milhões), Barreiro (2,1 milhões), Sesimbra (1,8 milhões) e Palmela, com 1,5 milhões em dívida. Com menores valores de dívida são Montijo, com 625 mil euros, Alcochete, com 645 mil euros e Moita, com 569 mil euros. Almada estaria em falta com 271 mil euros.

Nos últimos meses de 2011, a Amarsul avançou com injunções aos municípios de Seixal, Alcochete, Barreiro, Palmela, Sesimbra e Setúbal, no valor de 14 milhões de euros, mas acabou por desistir das acções, já que em 2012 foram celebrados acordos de pagamento com os municípios.