Assembleias Locais reforçam cidadania e democracia participativa em Cascais

Decorreu ontem, dia 14 de março de 2013, nas instalações da União 1º de Maio de Tires, a primeira Assembleia Local que, até julho, irão percorrer todas as freguesias do concelho.

Promovidas pela Câmara Municipal de Cascais, as Assembleias Locais visam estabelecer uma  nova plataforma de diálogo entre os cidadãos e o executivo, prosseguindo a estratégia de  promoção da cidadania e participação no concelho. Dia 28 de março é a vez da Assembleia Local  da freguesia de Alcabideche que terá lugar às 21h00, nas instalações do Grupo Musical e  Desportivo 1.º de Julho de Alcoitão.

Ultrapassar o obstáculo imposto pela burocracia ou distanciamento entre a população e o poder executivo da  Câmara Municipal de Cascais é o desafio lançado pela própria edilidade ao organizar as Assembleias Locais que  se constituem como fóruns de discussão onde todos têm tempo e espaço para expor as suas preocupações. Até julho deste ano, durante o qual Cascais assume a presidência do OIDP – Observatório Internacional da  Democracia Participativa, cada freguesia vai ser palco de pelo menos uma reunião desta natureza sendo  promovidas inscrições prévias através do email dcip@cm-cascais.pt.

Em S. Domingos de Rana, a primeira Assembleia Local ficou marcada por intervenções de teor diversificado  apresentadas por residentes na freguesia que aproveitaram a ocasião para interpelar diretamente Carlos Carreiras, presidente da Câmara Municipal de Cascais, sobre questões que interferem com o dia-a-dia das populações, como, por exemplo, a ocupação de espaço público e privado, a requalificação de Largo da Conceição da Abóboda; a limpeza de terrenos em Tires; a requalificação da calçada 1.º Dezembro em Caparide; o limite de velocidade em Tires; ou ainda a falta de estacionamento em Matarraque. Mas a Assembleia Local foi ainda aproveitada pelos munícipes para expressar preocupações mais profundas como situações graves de pobreza, ou casos ainda por resolver associados às cheias ocorridas em 2008.

Também as preocupações com o Bairro Zambujeiro Pequeno, Área Urbana de Génese Ilegal; os terrenos do aterro sanitário de Trajouce; ou a laboração da empresa Sanestradas igualmente em Trajouce integraram a lista de temas abordados pelos dez cidadãos inscritos durante a mais de duas horas de reunião e perante uma plateia com mais de 90 pessoas.

“Ninguém fica sem resposta. Estas reuniões são para os cidadãos apresentarem as questões que, para si e para a freguesia, são prioritárias, de modo a terem um papel ativo no processo de tomada de decisão”, esclareceu Carlos Carreiras que, na Assembleia Local, se fez acompanhar do corpo técnico dirigente. “Nestas reuniões queremos, sempre que possível, assegurar respostas e soluções condizentes com as expectativas dos intervenientes. Caso as situações sejam mais complexas e exijam análise adicional por parte dos serviços, a resposta fica pendente, mas por muito pouco tempo”, assegurou o presidente da Câmara Municipal de Cascais.

A próxima Assembleia Local será na freguesia de Alcabideche e está marcada para dia 28 de março, nas instalações do Grupo Musical e Desportivo 1.º de julho de Alcoitão.

Os cidadãos interessados em participar podem desde já fazer chegar as suas questões pelo email dcip@cmcascais.pt .