Autarquias querem ser ouvidas sobre Arco Ribeirinho

As autarquias do Barreiro, Seixal e Almada pediram uma reunião à nova administração da empresa pública Baía do Tejo, para discutir o projecto Arco Ribeirinho Sul, de modo a definir os próximos passos do processo.

Carlos Humberto, autarca do Barreiro, disse que os pedidos de reunião já foram enviados e acrescentou ser “importante” continuar a trabalhar num projecto que é "indispensável para o país".

O presidente da Câmara do Barreiro disse que pediu “uma reunião em nome da Câmara e outra em nome das três autarquias envolvidas” para continuar a trabalhar no projecto.

“Temos o Plano de Urbanização da Quimiparque, o processo de descontaminação do solo, alguns investimentos e outros assuntos que é importante discutir", afirmou o autarca.

Sobre a nomeação de Jacinto Pereira para a administração da Baía do Tejo, o autarca do Barreiro afirmou-se disponível para trabalhar com os novos responsáveis para avançar com o projecto.

"Não nos cabe a nós decidir quem é a administração da Baía do Tejo, mas tenho pena que não se tenha encontrado alguém da anterior administração para dar continuidade ao processo. É uma decisão do Governo. Seja quem for a administração, estamos disponíveis para trabalhar em conjunto", disse.

Carlos Humberto afirmou ainda que continua a aguardar por uma reunião com a ministra do Ambiente, Assunção Cristas, que já foi pedida há várias semanas, mas que ainda não foi marcada.

O projecto Arco Ribeirinho Sul visa a requalificação das antigas áreas industriais da Quimiparque (Barreiro), Siderurgia (Seixal) e Margueira (Almada).

Com a extinção da sociedade, a empresa Baía do Tejo assume novas competências para avançar com o projecto do Arco Ribeirinho Sul, tendo o Governo criado também um grupo de acompanhamento, não remunerado, em que estão representadas entidades da administração central e local.

Este grupo de acompanhamento vai trabalhar em conjunto com os municípios da área de intervenção e com a Baía Tejo, empresa responsável pela gestão dos três territórios.