Baía do Tejo quer novo terminal no Barreiro

O presidente da Baía do Tejo, Jacinto Pereira, disse hoje que o novo terminal de contentores no Barreiro serviria para aumentar o interesse pelos territórios, defendendo que o Arco Ribeirinho deve ser o centro da reindustrialização do país.

"O novo terminal no Barreiro traria uma valorização deste território. Ia aumentar a procurar e colocava os territórios do Arco Ribeirinho Sul sobre a atenção de todos, ao nível de empresas nacionais e internacionais", afirmou.

A Baía do Tejo, empresa do universo Parpública, tem a seu cargo a gestão dos Parques Empresariais Baía do Tejo, localizados no Barreiro, Seixal e Estarreja, bem como a gestão do projeto Arco Ribeirinho Sul, de reconversão das antigas áreas industriais da Quimiparque (Barreiro), Margueira (Almada) e Siderurgia (Seixal).

Durante a conferência, Melhor Portugal - Mais Indústria. Melhor Economia. Mais Emprego", que decorreu no Barreiro, Jacinto Pereira disse que os territórios devem estar no centro da reindustrialização do país.

"Estes territórios devem estar no centro do processo. A reindustrialização é uma necessidade do país e um desígnio nacional, mas não deve ser um regresso ao passado. Só será viável com a atração de investimento, nacional e estrangeiro", salientou.

O secretário de Estado da Inovação, Investimento e Competitividade, Pedro Gonçalves, esteve presente e defendeu que o país tem que apostar na indústria e em empresas que produzam em Portugal, dando o exemplo da Autoeuropa.

"A Autoeuropa apresentou, no início deste mês, uma proposta para o maior investimento industrial em Portugal nos últimos cinco anos, de cerca de 700 milhões de euros, duplicando a capacidade de produção e aumentando em cerca de 500 os postos de trabalho", disse.

O presidente da distrital de Setúbal do PSD, Bruno Vitorino, salientou a importância dos territórios em Barreiro, Almada e Seixal, mas referiu que é preciso uma definição da estratégia.

"Todos os membros do governo devem ver os territórios como um todo. Existiam promessas sem condições financeiras mas é preciso agora uma definição clara da estratégia", apontou.

Bruno Vitorino mostrou-se favorável a um aumento da atividade portuária no concelho do Barreiro "que as condições naturais permitam", referindo que se deve avançar com a ligação rodoviária entre o Barreiro e o Seixal e entre o Barreiro e o Montijo.