Barbosa de Oliveira pretende 'reposicionamento do PS' em Sintra

O candidato independente à presidência da Câmara de Sintra Barbosa de Oliveira afirmou hoje que a sua candidatura às autárquicas de setembro visa ser “um reposicionamento do PS”, já que não se revê no candidato socialista Basílio Horta.
"Não me revejo no candidato Basílio Horta, que, embora seja afeto do Partido Socialista, diz que é democrata-cristão e que nunca será socialista. Eu também não me posso rever num candidato que se diz democrata-cristão, razão pela qual eu entendi que à esquerda, nos chamados partidos da governação, não existe ninguém e daí eu pretender preencher esse espaço", disse o socialista.
O também presidente da Junta de Freguesia de Queluz, eleito pelo PS, falava com a agência Lusa antes da cerimónia de apresentação dos candidatos do movimento às juntas de freguesia, que decorreu no largo do Palácio de Queluz.
Referindo-se a Basílio Horta - deputado socialista que é cofundador do CDS-PP -, o candidato do movimento "Sintra, Paixão com Independência" considerou que "os que vêm de fora não conhecem a declaração de princípios do PS".
O candidato adiantou que pretende "plasmar no concelho de Sintra" o que tem feito na freguesia de Queluz, sobretudo ao nível da requalificação urbana.
"As pessoas reclamam muito da falta de espaços verdes. Vamos requalificar as freguesias, mas também requalificar toda a costa", disse.
Barbosa de Oliveira adiantou que a sua candidatura já recolheu cerca de 90% das assinaturas necessárias para avançar com a candidatura do movimento quer à câmara municipal, quer a oito das juntas de freguesia.
Além de Barbosa de Oliveira, são já conhecidas as candidaturas de Pedro Pinto (PSD/CDS-PP), Basílio Horta (PS), Pedro Ventura (CDU), Luís Fazenda (BE), Nuno da Câmara Pereira (PND), Marco Almeida (independente) e Nuno Azevedo (PAN).
As eleições autárquicas decorrem a 29 de setembro.

LUSA