Câmara de Cascais retira pelouros a vereador candidato independente

O presidente da Câmara de Cascais, Carlos Carreiras, anunciou hoje a retirada dos pelouros ao vereador do CDS-PP João Sande e Castro, que anunciou a sua candidatura às eleições autárquicas como independente, demarcando-se do atual executivo.
Depois de a concelhia do CDS-PP de Cascais ter decidido, na passada sexta-feira, retirar a confiança política a João Sande e Castro, eleito por indicação do partido, agora foi a Câmara de Cascais que decidiu retirar-lhe os pelouros pelos quais era responsável (Desporto, Polícia Municipal, Fiscalização e Mobilidade).
"Ele é vereador da maioria e decidiu romper, portanto é normal que fique sem os pelouros que lhe tinha atribuído", disse hoje à agência Lusa Carlos Carreiras.
Contactado pela Lusa, João Sande e Castro achou "estranha" a decisão do autarca.
"Estranho que mantenha os pelouros ao PCP e PS e tenha havido esta decisão em relação a mim. Claro que gostava de ter continuado o meu trabalho até ao fim", afirmou.
A 15 de maio, João Sande e Castro anunciou que se iria candidatar à presidência da autarquia como independente e que tinha pedido a suspensão da filiação do CDS-PP.
Depois de, em fevereiro, ter surgido a polémica sobre o eventual apoio de João Sande e Castro a outra candidatura que não a da coligação PSD/CDS-PP - que atualmente lidera a Câmara de Cascais - e de isso poder custar-lhe um processo disciplinar, o vereador confirmou que se iria demarcar do atual executivo.
"Todos por Cascais" é o nome do movimento de cidadãos independentes liderado por João Sande e Castro.
Além do vereador, são já conhecidos como candidatos à Câmara de Cascais João Cordeiro (PS), o atual presidente da autarquia, Carlos Carreiras (PSD/CDS), o sindicalista Clemente Alves (CDU) e a independente Isabel Magalhães (SerCascais).