Câmaras devem 17,8 milhões à Amarsul

Os municípios da península de Setúbal fecharam o ano de 2011 com dívidas de 17,8 milhões de euros à empresa multimunicipal Amarsul, responsável pela valorização e tratamento de resíduos sólidos.

No relatório e contas de 2011, a dívida global dos municípios passou a ser de 17,8 milhões de euros, quando em 2010 era de 10,6 milhões, e 16 milhões referem-se a uma verba já vencida.

O município que fechou o ano com o maior valor em dívida foi Setúbal, com 7,2 milhões de euros, seguindo-se Seixal (2,9 milhões), Barreiro (2,1 milhões), Sesimbra (1,8 milhões) e Palmela, com 1,5 milhões em dívida.

Os municípios com menores valores de dívida são Montijo, com 625 mil euros, Alcochete, com 645 mil euros, Moita, com 569 mil euros, e Almada, com 271 mil euros.

Nos últimos meses de 2011, a Amarsul (detida em 51% pela Empresa Geral de Fomento, pública, e em 49% pelos municípios) avançou com injunções aos municípios de Seixal, Alcochete, Barreiro, Palmela, Sesimbra e Setúbal, no valor de 14 milhões de euros, mas acabou por desistir das ações, já que em 2012 foram celebrados acordos de pagamento com os municípios.

"Confirmamos que foram efectuados os acordos em 2012 e que os atrasos verificados em alguns casos são, de uma maneira geral, curtos e acabam por ser ultrapassados com o bom pagamento dos valores em dívida. O caso que oferece mais preocupação prende-se com o município de Setúbal e que já foi devidamente reportado", disse à Lusa fonte oficial da Amarsul.