Carcavelos: Campus da Faculdade de Economia da Universidade Nova arranca com a Bênção de Marcelo

O 'campus' da Nova School of Business & Economics (SBE), em Carcavelos, no concelho de Cascais, vai arrancar hoje, numa cerimónia que será assinalada com a presença do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.
  
Segundo uma nota da Câmara de Cascais, o lançamento da primeira pedra da obra está agendado para as 15:00, mas antes disso, às 13:30, haverá uma sessão de apresentação do novo 'campus' e das apostas estratégicas da Nova SBE.
 
O futuro 'campus' universitário da Faculdade de Economia da Universidade Nova de Lisboa terá capacidade para cinco mil alunos e insere-se na estratégia do executivo para "atrair conhecimento, competência e atividade ao município, de forma a torná-lo mais atrativo".
 
O espaço da Nova SBE irá também contribuir para a requalificação de uma área de 83.579 metros quadrados, localizada entre o Forte de S. Julião da Barra e a urbanização da Quinta de S. Gonçalo, junto à praia de Carcavelos.
 
Na sequência da conclusão de todo o processo de licenciamento e de adjudicação da obra, a Fundação Alfredo de Sousa dará início à empreitada, que, prevê-se, deverá ficar concluída no primeiro trimestre de 2018, permitindo a entrada em funcionamento no ano letivo seguinte.
 
A construção da futura Faculdade de Economia tem estado envolta em polémica por parte dos partidos da oposição ao executivo PSD/CDS-PP que lidera a Câmara de Cascais.
 
Ainda na segunda-feira à noite, em reunião de Assembleia Municipal, o movimento independente SerCAscais e o Bloco de Esquerda questionaram a autarquia sobre o processo judicial em torno dos terrenos onde será construído o futuro 'campus'.
 
As dúvidas estão relacionadas com o processo judicial de expropriação e os valores de indemnização a pagar aos antigos proprietários.
 
Na assembleia municipal, o presidente da Câmara de Cascais, Carlos Carreiras, afirmou que "não há réus no processo e não há nenhum processo judicial em curso".
 
"Os terrenos são da Câmara de Cascais. Isso foi decretado pelo tribunal. O que há é uma discrepância no valor da indemnização da expropriação e isso está no Tribunal Arbitral à espera de conclusão. A câmara, mesmo na pior hipótese (de ter de pagar o montante de 8 milhões de euros requerido pelos anteriores proprietários), não é o investidor maior. Há investidores maiores", esclareceu o autarca.
 
Cascais conta já com dois polos universitários, a Escola de Hotelaria e Turismo do Estoril e a Escola Superior de Saúde de Alcoitão, estando previstas seis faculdades e 20 mil alunos "até 2018, no limite, 2020", declarou o autarca à agência Lusa, a 10 de setembro do ano passado.