Chuva intensa causa estragos na Margem Sul

A chuva intensa que caiu durante toda a a noite de quarta-feira provocou inundações em vários locais da margem sul do Tejo. O concelho de Almada foi o mais afetado, em especial a zona da Costa de Caparica, segundo informações avançadas por uma fonte do CDOS-Comando Distrital de Operações de Socorro de Setúbal à agência Lusa.

"Temos registo de ocorrências em todos os concelhos da Península de Setúbal, mas os problemas maiores ocorreram em Almada e na Costa da Caparica", disse fonte do CDOS, acrescentando que também ocorreram várias inundações em Setúbal. "Estes dados referem-se apenas às ocorrências registadas antes da meia-noite", frisou.

No concelho de Almada, os bombeiros tiveram de acorrer a diversas inundações em habitações e estabelecimentos comerciais.

A Costa da Caparica foi uma das zonas mais afetadas pela chuva intensa, que provocou inundações em diversas zonas baixas, causando prejuízos significativos em muitas viaturas estacionadas na via pública, algumas das quais ficaram parcialmente submersas.

No Seixal, a chuva deixou intransitável a EN-378, perto de Fernão Ferro.

Chuva vai continuar até sexta-feira

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) prevê para hoje no continente a continuação de precipitação forte, acompanhada por trovoadas, uma situação que deverá persistir até à madrugada de sexta-feira, segundo a meteorologista Maria João Frada.

"O território do continente está sob a acção de uma massa de ar quente (...) associada a uma depressão numa vasta região depressionária sob o Atlântico e que está quase estacionária. Essa massa de ar vai atravessar o continente durante o dia de hoje nas regiões do norte e centro e na região sul permanecerá a partir do final do dia e até à madrugada de sexta-feira", explicou.

Maria João Frada sublinhou que esta situação levou o IPMA a colocar 11 distritos do continente sob aviso laranja, o segundo mais grave de uma escala de quatro, e outros sete e a Madeira a amarelo, por causa da chuva e do vento.

"O que se prevê para hoje são períodos e chuva ou aguaceiros por vezes fortes, acompanhados por trovoadas e rajadas fortes", declarou.

Maria João Frada adiantou que durante a noite, o IPMA registou valores mais intensos de precipitação na região do Vale do Tejo, numa linha que entrava pela zona da Grande Lisboa e Setúbal, que afectou o distrito de Setúbal e parte do norte de Évora e Portalegre.

"Gradualmente a precipitação vai estender-se para norte e prevê-se que afecte as regiões do norte gradualmente a partir do início da manhã. A precipitação nesses distritos vai aumentar de intensidade. Para já, os distritos que inspiram mais cuidado são os do litoral, nomeadamente Lisboa, Coimbra, Aveiro e Leiria e depois, mais para meio da manhã ou início da tarde, também os do norte", relato.

A meteorologista adiantou ainda que a situação vai gradualmente estender-se, à tarde, ao Baixo Alentejo e ao Algarve, mas, "em princípio", com menor intensidade.

Quanto a sexta-feira, Maria João Frada disse que a situação "estará ultrapassada", prevendo-se ainda chuva, mas já com abertas.

"Amanhã [sexta-feira] já estará ultrapassada a situação. Poderá na região sul haver alguma precipitação forte, mas na generalidade do território esta situação estará ultrapassada", referiu.

O IPMA colocou hoje sob aviso laranja entre as 06:00 e as 18:00 os distritos de Aveiro, Viseu, Guarda, Coimbra, Castelo Branco, Leiria, Santarém, Portalegre, Lisboa, Setúbal e Évora.