Comemorações do Dia da Marinha sem a habitual demonstração naval

As comemorações do Dia da Marinha vão decorrer no Barreiro entre 18 e 26 de maio, num ano marcado pela contenção de custos e pela não realização da habitual demonstração naval.
Na cerimónia de apresentação do programa, que decorreu sexta-feira no Barreiro, o chefe de gabinete do CEMA, Seabra de Melo, referiu que as questões económicas estiveram sempre presentes.
"Não houve uma reunião ou iniciativa em que as questões económicas não estivessem presentes. Vamos fazer um programa com sobriedade e racionalidade de meios, numa versão mais económica e simples", afirmou.
Seabra de Melo referiu que este ano, pela primeira vez, não se vai realizar a habitual demonstração naval.
"Pela primeira vez não vamos fazer a demonstração naval, porque entendemos que é excessivo ter os navios a navegar e já é festa o desfile, a exposição e os concertos", defendeu.
Para economizar nos gastos, o responsável disse ainda que os participantes no desfile, que se realiza a 26 de maio no Barreiro, vão ser transportados na vedeta da marinha, de modo a diminuir os gastos que implicava o transporte rodoviário.
"Vamos ter cerca de 800 a mil pessoas envolvidas nas comemorações e vamos aproveitar para lançar o novo portal da marinha", anunciou.
No ano em que se assinala os 500 anos do regresso de Vasco a Gama da Índia, as comemorações do Dia da Marinha regressam ao Barreiro, depois de em 1997 se terem realizado na mesma cidade, no ano em que se assinalou os 500 anos da partida de Vasco da Gama para a Índia.
O programa contempla várias iniciativas, como batismos de mar, uma exposição no Barreiro, concerto da Banda da Armada ao ar livre, passeios pedestres, um desfile nas ruas da cidade ou várias atividades desportivas.
"Estamos honrados em receber as comemorações na nossa terra, de onde partiram naus e marinheiros à procura de outras terras. Temos uma relação secular com os marinheiros e as frentes de água", disse Carlos Humberto, presidente da Câmara do Barreiro.