Estoril ainda acredita na recuperação do Moto GP de Portugal

O diretor do Autódromo do Estoril destacou o caráter “provisório” do calendário anunciado hoje pela Federação Internacional de Motociclismo, que exclui o GP de Portugal, e adiantou que vai reunir-se com responsáveis da Dorna na próxima semana em Aragão.
Em declarações à agência Lusa, Domingos Piedade considerou ser ainda “muito cedo” para falar-se do figurino do Mundial do próximo ano, tendo em conta os problemas económicos que afetam a economia espanhola, país que tem previstas quatro Grande Prémios no calendário de 2013 (Gerez, Barcelona, Aragão e Valência).
A grave situação económica que atravessam a Catalunha, Andaluzia e a Comunidade Valenciana poderá, em última instância, levar a um eventual cancelamento de algumas das provas previstas e favorecer uma alternativa em Portugal.
Das discussões com os responsáveis da Dorna, a empresa que detém os direitos do Mundial de MotoGP, por altura do Grande Prémio de Aragão, poderão sair ideias mais concretas sobre o próximo Mundial.
“Para a semana que vem vou estar reunido com o Carmelo [Ezpeleta] e a Dorna”, referiu, destacando que as datas (14 e 21 de abril) que estão de reserva no calendário provisório poderão até nem servir os interesses do autódromo caso se confirme uma proposta de reserva de seis semanas do Circuito do Estoril, “com alta probabilidade” de ser acionada, no princípio de abril até meados de maio.
Neste caso, a alternativa poderia até passar pela eventual realização do Grande Prémio de Portugal no final do calendário, como já aconteceu no passado.
No caso de vir a ser encontrada uma data conveniente para o Autódromo do Estoril, será ainda necessário avaliar a disponibilidade para o apoio do Estado português, que tem vindo a restringir as contribuições para as provas desportivas, e da Câmara de Cascais, que em 2013 terá eleições.