Falha informática atrasa consultas

A deputada do BE Mariana Aiveca questionou o Ministério da Saúde sobre as falhas no sistema informático de acesso ao historial clínico dos utentes dos doze centros de saúde de Almada, que afectam cerca de 180 mil pessoas.

"Desde o dia 18 de maio que os profissionais de saúde afixaram uma informação aos utentes, dando conta dos constrangimentos que duram há dois meses e anunciando que apenas iriam realizar o serviço de urgência", refere o documento enviado à tutela e hoje divulgado.

A deputada salienta que, segundo o presidente da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, na origem desta falha estará a largura de banda.

"A impossibilidade de acesso ao historial clínico não só impede que as médicas e os médicos realizem as consultas, como impede novos agendamentos", aponta.

O Bloco de Esquerda quer que o Governo esclareça os motivos pelos quais este problema permanece e que medidas "urgentes e imediatas" pretende desenvolver com vista à sua resolução efectiva.