Filipe Lopes mostra em Cascais como as histórias podem ser grátis em tempos de crise

Cascais é o próximo ponto de passagem da oficina “Histórias grátis em tempos de crise”, uma iniciativa de Filipe Lopes, promotor de leitura e fundador do Grupo O Contador de Histórias. A 9 de Novembro na Biblioteca da Casa da Horta do Jardim de Santa Clara e a 7 de Dezembro na Biblioteca Infantil e Juvenil, ambas em Cascais,  pais, avós, educadores ou apenas curiosos podem (re)descobrir o prazer de contar e ouvir histórias, recuperando uma tradição milenar que apenas depende da memória e da imaginação.

 

Num momento em que os orçamentos familiares se reduzem a ponto de muitas actividades para os mais novos terem de ser limitadas, a narração oral, mesmo sem o suporte do livro, recupera algum do espaço que sempre teve. Promovendo o contacto intergeracional e um ambiente familiar mais próximo, contar (e escutar) histórias ajuda também a abordar medos e preocupações, num espaço que pode ser de carinho e descoberta, com divertimento para todos. Relembrar histórias que ouvimos enquanto crianças, aprender a estruturar o discurso e algumas técnicas para animar a narração são algumas das propostas de trabalho para esta oficina “Histórias grátis em tempos de crise”Filipe Lopespercorre o país há mais de uma década, promovendo a leitura junto de público de todas as idades, tendo já realizado cerca de 300 sessões de formação para pais e educadores.

 

Para além desta oficina para adultos, as bibliotecas de Cascais vão ainda receber outras iniciativas desenvolvidas por Filipe Lopes: a 8 de Novembro, às 10h30, na Biblioteca Infantil e Juvenil (no Parque Marechal Carmona), os mais pequenos vão ter “Histórias com Bicho”, enquanto que à tarde, às 14h30, são os idosos o público-alvo, com “Histórias ao Fumeiro”, na Biblioteca Municipal (na Casa da Horta da Quinta de Santa Clara). A 11 de Novembro é o público adolescente que participa no recital “Ah! Isto é que é poesia!?”, às 14h30 na Biblioteca de São Domingos de Rana.