Governo quer estender regras do passe social a todo o território

O secretário de Estado dos Transportes, Sérgio Monteiro, afirmou hoje que o Governo definiu como “objetivo político” estender as regras do passe social vigentes nas áreas metropolitanas a todo o país, “até ao final da legislatura”.
O governante, que falava no encerramento de uma conferência organizada pela Associação Nacional de Transportadores Rodoviários de Pesados de Passageiros (Antrop), em Lisboa, referiu-se aos descontos criados para as pessoas com baixos rendimentos, desempregados, com idades acima dos 65 anos, entre outras, que "nalguns casos chegam a 60% do preço do título".
No entanto, Sérgio Monteiro destacou que há alguns problemas a ultrapassar para garantir o cumprimento deste objetivo, nomeadamente o das greves e o da fraude.
“Não quero aqui esconder que o problema mais complicado que se coloca é o problema das greves (…) Sobretudo em 2012, [as greves] assolaram o setor dos transportes a um ritmo frenético e criaram uma noção de pouca fiabilidade nos utilizadores”, afirmou Sérgio Monteiro.
O secretário de Estado dos Transportes explicou que houve um ajustamento dos preços dos títulos de transporte, tendo em conta a paridade do poder de compra de Portugal com o resto da Europa, e que “as pessoas passaram a pagar mais e o serviço ficou menos disponível”.
Sérgio Monteiro referiu ainda o problema da fraude, adiantando que está a trabalhar, em conjunto com o secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, para fazer com que a penalização da utilização indevida dos transportes públicos seja feita pela Autoridade Tributária.
O responsável apontou também o problema da “perceção de que, com a crise económica e com a falta de emprego, muitas pessoas deixaram de ter passe mensal e passa a fazer o pagamento do título em função da real necessidade”, uma situação para a qual é preciso encontrar resposta.