Grupo Tivoli requer Processo Especial de Revitalização mas hotéis continuam a funcionar

A Tivoli Hotels & Resorts anunciou hoje ter recorrido ao Processo Especial de Revitalização (PER) para a Hotéis Tivoli e Marinotéis, na sequência da insolvência do acionista RioForte Investments, mas ressalva que as unidades hoteleiras vão continuar a funcionar.
 
"O Projeto Especial de Revitalização surge na sequência da insolvência do acionista do Grupo Tivoli em Portugal - RioForte Investments (Luxemburgo) -- e não vai afetar o normal funcionamento das várias unidades hoteleiras, que durante o processo irão estar totalmente operacionais", lê-se num comunicado hoje divulgado.
 
O presidente executivo da Tivoli Hotels & Resorts, Alexandre Solleiro, afirma, no comunicado, confiar "na total e rápida recuperação económica da empresa" e adianta já ter confirmada uma linha de financiamento de uma instituição financeira para fazer face aos compromissos atuais.
 
O reaponsável mostra-se ainda convicto de que as "diferentes negociações em curso" deverão permitir ao grupo concluir este processo com brevidade.
 
O comunicado refere ainda o "atraso na alienação do Grupo Tivoli em Portugal", um processo que estava a decorrer desde o início de 2014.
 
A 16 de dezembro, na comissão de inquérito à gestão do BES e do GES, o presidente do Conselho de Administração da Rioforte, Manuel Fernando Espírito Santo, confirmou que há interessados em comprar os hotéis Tivoli, mas que uma tomada de decisão já não caberia à empresa, por esta estar em insolvência.
 
A Tivoli Hotels & Resorts tem 14 unidades hoteleiras em Portugal e no Brasil, incluindo os Hotéis Tivoli SA e a Marinotéis SA.