Idosa detida em Lisboa por suspeita de autoria de várias burlas

Uma idosa de 69 anos foi detida em Lisboa por suspeitas da autoria de vários crimes de burla e falsificação de documentos e vai aguardar julgamento em prisão preventiva, anunciou hoje a PSP.

De acordo com a polícia, a suspeita fazia-se valer da sua idade para abordar e ganhar a confiança das pessoas.

Em alguns casos, segundo a PSP, fazia-se passar por funcionária de diversas empresas, aliciando as pessoas com vários tipos de negócio para que lhe cedessem dinheiro, bens, imóveis e serviços.

Fonte policial explicou à agência Lusa que, num dos esquemas, a idosa iria comprar uma clínica médica que estaria insolvente a uma das vítimas das burlas. Na posse da assinatura da vítima, deu início aos esquemas.

"Andou a utilizar a assinatura dessa pessoa para passar cheques e assinar contratos. Num dos casos, adquiriu uma viatura de alta cilindrada. Além disso, adquiria inúmeros serviços que não pagava", relatou a fonte.

A idosa, detida no dia 24 deste mês, é também suspeita de usar identificações e assinaturas das pessoas burladas para realizar contratos em empresas de prestação de serviços, lesando-as em centenas de euros.

Fonte policial adiantou à Lusa que a detenção surgiu no âmbito de uma investigação decretada pelo Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP).

A polícia realizou buscas domiciliárias a duas residências onde a mulher pernoitava e a um escritório onde afirmava trabalhar, tenho apreendido duas viaturas, um computador, cinco telemóveis e vários documentos.

De acordo com a fonte, "há alguns anos", a idosa já tinha sido condenada a doze anos de prisão por crimes de burla qualificada.

Após a detenção, foi presente a tribunal, que aplicou a prisão preventiva como medida de coação.