Mafra comemora 300 anos do Palácio Nacional com meia centena de eventos

Mafra vai comemorar os 300 anos, desde o lançamento da primeira pedra do Palácio Nacional, com cerca de 50 iniciativas culturais e religiosas, ao longo do ano, anunciou hoje a comissão organizadora.
 
Direção-Geral do Património Cultural, Palácio Nacional, Câmara Municipal, Escola das Armas, Tapada Nacional e a Paróquia de Mafra anunciaram hoje, em conferência de imprensa, o programa, que prevê conferências, visitas à Tapada Nacional, lançamento de livros, concertos a seis órgãos, encenação de uma peça de teatro baseada no "Memorial do Convento", de José Saramago, visitas subterrâneas a locais vedados ao público e exposições, ao longo do ano.
 
O diretor do palácio, Mário Pereira, espera que as comemorações sejam "sinónimo de investimento", recordando que foi lançado concurso de 2,3 milhões de euros para a reabilitação dos sinos e carrilhões durante o próximo ano.
 
Em 2017, o monumento vai ser alvo também de obras de instalação de um elevador (400 mil euros), para as quais deverá ser em breve lançado concurso, e de restauro da Sala do Trono (50 mil euros), além de vir a ser dotado de 'áudio-guias' para facilitar a visita pelos turistas.
 
O programa das comemorações arranca no dia 17 com um espetáculo de fogo-de-artifício e uma conferência, pelo bispo auxiliar de Lisboa, D. Nuno Brás Martins.
 
O programa contempla, ainda este mês, uma exposição de arte alusiva ao tricentenário, uma missa na Basílica, acompanhada pelos seis órgãos históricos e dois coros (dia 19), e uma conferência pelo cardeal patriarca, Manuel Clemente (28).
 
Em dezembro, acolhe, nos dias 17 e 18, um concerto a seis órgãos com a participação do Coro da Academia de Música de Santa Cecília de Lisboa, enquanto no dia 10 é lançada uma nova edição do "Memorial de Convento", com prefácio de Carlos Reis e ilustrações do pintor João Abel Manta, para assinalar os 18 anos da entrega do Prémio Nobel da Literatura a José Saramago.
 
Em 2017, o palácio associa-se às cerimónias da Quaresma (março) e da Páscoa (abril), com missas presididas pelo cardeal patriarca de Lisboa, Manuel Clemente.
 
Em maio, é realizado o espetáculo teatral "A luz no Sagrado", nos dias 19 e 20, a 26 é lançado o livro "Os Órgãos Históricos do Concelho de Mafra", e, de 24 a 28, o palácio acolhe o Festival Internacional de Órgão, promovido pela Associação das Cidades com Órgãos Históricos.
 
Em junho, organistas austríacos dão um concerto nos seis órgãos da basílica (dia 11) e vai ser promovida uma recriação histórica alusiva à fase de construção do monumento (dias 24 e 25).
 
Em setembro, os visitantes vão poder observar um espetáculo de 'videomapping' e fogo-de-artifício (01 e 02).
 
Em outubro, destaque para o dia 21, com uma mostra gastronómica alusiva à época e ópera e, no dia 22, missa presidida por Manuel Clemente, para assinalar a sagração da basílica.
 
O programa encerra a 17 de novembro de 2017, com a comemoração dos 300 anos do lançamento da primeira pedra da basílica, de novo com um concerto a seis órgãos e fogo-de-artifício.