Ministro da Saúde garante urgência médico-cirúrgica em Torres Vedras

 

O ministro da Saúde disse hoje, em Torres Vedras, que a urgência médico-cirúrgica da cidade é para manter aberta, ao contrário do que propõe a Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT).
"Posso garantir que não há qualquer plano para encerrar a urgência médico-cirúrgica e que há claramente um plano de optimização [dos recursos] dentro do Centro Hospitalar do Oeste, que foi para isso que foi constituído", afirmou Paulo Macedo.
O governante falava aos jornalistas à entrada de um jantar com militantes do PSD, organizado pela distrital do PSD/Oeste.
A ARSLVT propôs a fusão concretizada em Outubro dos dois centros hospitalares existentes em Caldas da Rainha e Torres Vedras no Centro Hospitalar do Oeste, cuja nova administração entrou em funções no dia 22 e é presidida por Carlos Sá. 
A proposta apontava também para o encerramento da urgência médico-cirúrgica de Torres Vedras, com o reencaminhamento dos utentes do sul da região para a urgência médico-cirúrgica de Caldas da Rainha.
Em Junho, em resposta a um requerimento apresentado na Assembleia da República pelo partido ecologista Os Verdes, o ministério da Saúde revelou que tencionava "passar o serviço de urgência [médico-cirúrgico] do hospital de Torres Vedras a urgência básica", mantendo a de Caldas da Rainha.
Ainda de acordo com a proposta da ARSLVT, o serviço de cirurgia ficaria no hospital de Torres Vedras, devendo Torres Vedras e Caldas da Rainha assegurar a cirurgia de ambulatório.
A pediatria "deverá manter-se em ambos os hospitais" e a maternidade funcionará nas Caldas da Rainha. Esclarecimentos prestados no início de Junho, pela ARSLVT, adiantam que decisão de encerrar a urgência básica de Peniche é remetida para a futura administração hospitalar.
A região Oeste é servida pelo Centro Hospitalar do Oeste, que abrange os concelhos de Alcobaça, Bombarral, Caldas da Rainha, Nazaré, Óbidos, Peniche (até aqui dependentes do Centro Hospitalar Oeste Norte, em Caldas da Rainha), Cadaval, Lourinhã, Torres Vedras e parte do concelho de Mafra (que recorriam ao Centro Hospitalar de Torres Vedras).