Museu da Presidência reabre na Cidadela de Cascais

 

O Museu da Presidência da República, na Cidadela de Cascais, está a partir de hoje reaberto ao público com 27 peças emprestadas do espólio de três museus municipais, informou a Câmara de Cascais.
A cedência de parte do acervo do Museu-Biblioteca Condes de Castro Guimarães, do Museu da Música Portuguesa-Casa Verdades de Faria e da Casa Reynaldo dos Santos e Irene Quilhó dos Santos surge depois de um acordo assinado na terça-feira à noite entre a secretaria-geral da Presidência da República e a Câmara de Cascais.
Entre molduras do século XX, telas do século XVIII e mesas do século XIX, ao todo são 27 peças cedidas com o objectivo de manter o Museu da Presidência da República, instalado na Cidadela, aberto ao público de forma mais permanente.
"O protocolo de colaboração possibilita o depósito temporário de peças dos acervos dos museus municipais naquele espaço por um período de quatro anos, renovável", refere uma nota da autarquia. 
No âmbito do acordo, a Câmara de Cascais assume diversos "apoios operacionais e logísticos, ultrapassando as dificuldades que estavam a limitar os períodos de abertura deste espaço ao público durante o ano", embora a conservação do acervo emprestado seja da responsabilidade do Museu da Presidência da República.
A par do espólio dos museus municipais, está ainda patente no Museu da Presidência, até 6 de Janeiro de 2013, a exposição "A Natividade na Arte Popular Africana", que reúne 200 peças representantes de 21 países, com especial destaque para os países africanos de língua oficial portuguesa. 
Obras feitas com ébano, pau-preto, marfim, osso, folha de bananeira, casca de ovo, chifre de boi, entre outros, ilustram a representação etnográfica da natividade no continente africano.