Pais contestam criação de mega-agrupamentos

A Federação Regional de Lisboa das Associação de Pais (FERLAP) acusa o Ministério da Educação de, ao destituir os actuais órgãos de gestão escolar, “menosprezar” o trabalho desenvolvido na elaboração da reorganização escolar.
Em carta enviada ao ministro Nuno Crato, a FERLAP manifesta “indignação e surpresa perante a ligeireza com que o Ministério da Educação e Ciência desrespeita o princípio da estabilidade do ensino e menospreza o trabalho complexo e moroso que professores, alunos, pais e encarregados de educação, pessoal não docente, representantes dos municípios e das comunidades locais desenvolveram ao longo dos últimos anos”.
Para a federação, a decisão de destituir administrativamente os actuais órgãos de gestão e administração escolar “põe fim" a um processo que "está ainda longe de ter tempo de vida que permita de forma séria e consequente fazer uma avaliação e retirar conclusões ponderadas sobre o modelo em vigor”.