Reordenamento da rede educativa vai abranger sete mega-agrupamentos

O novo modelo de reordenamento da rede educativa de Sintra será apreciado, no próximo dia 29, no âmbito do Conselho Municipal de Educação, sendo analisado, posteriormente, pelo executivo municipal. Para trás ficou, entretanto, a avaliação da constituição dos mega-agrupamentos nos conselhos gerais dos estabelecimentos de ensino: Os novos mega-agrupamentos serão:
– Escola Secundária de Gama Barros (Cacém)/antigo agrupamento horizontal Ribeiro de Carvalho;
– Escola Secundária Leal da Câmara/Agrupamento Padre Alberto Neto (Rio de Mouro);
– Escola Secundária de Mem Martins/Agrupamento Maria Alberta Menéres (Tapada das Mercês);
– Escola Secundária Miguel Torga/Agrupamento D. Pedro IV (Monte Abraão);
– Escola Secundária Padre Alberto Neto/Agrupamento Galopim de Carvalho (Queluz);
– Escola Secundária de Santa Maria/Agrupamento D. Fernando II (Sintra)/Agrupamento da Região de Colares;
– Escola Secundária Stuart Carvalhais/Agrupamento Egas Moniz (Massamá).
De fora desta fusão, por invocarem o regime de excepção consagrado nas normas emanadas do Ministério da Educação e Ciência estão, por exemplo, Territórios Educativos de Intervenção Prioritária, como é o caso dos agrupamentos Ferreira de Castro (Mem Martins), Ruy Belo (Monte Abraão) e D. Domingos Jardo (Mira Sintra). Neste último caso, ficou inviabilizada a agregação com a Escola Secundária Matias Aires (Agualva) que estava disponível para o efeito.
Por prestarem serviço educativo em estabelecimentos prisionais, outra das condições do regime de excepção, a Escola Secundária de Ferreira Dias (Cacém) e o Agrupamento D. Carlos I (Sintra) rejeitaram também integrar mega-agrupamentos.