Semana de luta dos trabalhadores dos transportes prolonga-se até sábado

A semana de luta dos trabalhadores do setor dos transportes prolonga-se até sábado, estando prevista a realização de plenários e paralisações em várias empresa públicas e privadas, o que causará problemas na circulação. 

Na quarta e quinta-feira, são esperadas fortes perturbações e supressões em todos os serviços da CP – Comboios de Portugal, na sequência da greve da empresa pública e da REFER, respetivamente, de acordo com o calendário dos protestos definido pela Federação dos Sindicatos dos Transportes e Comunicações (Fectrans). 
Também os trabalhadores da Scotturb, rede de transporte nos concelhos de Cascais, Oeiras e Sintra, entregaram pré-aviso de greve para quarta-feira. 
Já na terça-feira, é a vez dos trabalhadores da Sociedade de Transportes Coletivos do Porto (STCP) pararem entre as 8:00 e as 16:00, período em que decorre o plenário de trabalhadores. 
No mesmo dia, os trabalhadores do Metro de Lisboa concentram-se em frente à sede da empresa, às 10:00, e os funcionários da Empresa de Manutenção de Material Ferroviário (EMEF) provem uma ação da indignação e de luta nas oficinas do Porto, Entroncamento, Lisboa e Pinhal Novo, a partir das 15:30. 
Nos CTT, vão realizar-se plenários em todos os distritos em defesa dos correios públicos. 
Com início às 21:00 de terça-feira, os trabalhadores da Tracar juntam-se ao protesto com dois dias de greve. 
A Carris junta-se à semana de luta da Fectrans com um plenário de trabalhadores reformados em frente ao Ministério da Economia, na quinta-feira, às 10:00. 
Na sexta-feira, a paralisação afeta a TST, com plenários no Laranjeiro, Setúbal, Sesimbra e Montijo, e a Rodoviária de Lisboa, com plenário junto à administração da empresa.
Ainda hoje, a luta arranca com os trabalhadores da TAP a concentrarem-se junto ao Ministério da Economia, onde vão entregar um bilhete só de ida para Toronto a Álvaro Santos Pereira. 
A Comissão de Trabalhadores da TAP vai hoje fazer chegar a Álvaro Santos Pereira, que tem a pasta dos Transportes, o referido bilhete de regresso ao Canadá, com a condição de deportado, acusando-o de ser responsável por um desfalque de técnicos qualificados de manutenção e de voo na TAP. 
Também hoje os trabalhadores da Soflusa realizam um plenário com paralisação, das 14:30 às 16:30, e os funcionários da Vimeca reúnem-se em plenários às 20:30. 
A Fectrans agendou a semana de luta para evidenciar os problemas com que os trabalhadores se confrontam em cada empresa, que, “quase todos resultam das políticas que o Governo desenvolve com vista a aumentar a exploração de quem trabalha”, explica o coordenador José Manuel Oliveira.
“É uma semana se luta em defesa da negociação coletiva, pelo aumento dos salários, pelo cumprimento dos acordos de empresa e contratos coletivos, contra a redução do pagamento do trabalho extraordinário, contra a retirada de direitos, pela defesa do serviço público e contra as privatizações”, elenca o comunicado da estrutura sindical. 
A semana de luta termina no sábado com uma manifestação nacional, com a concentração no Largo Camões, às 14:30, para uma marcha até à Assembleia da República.