Torre Velha já é monumento nacional

Trinta anos depois da Câmara de Almada ter candidatado a Torre Velha, na Caparica, para ser classificada como Monumento Nacional, no passado dia 26 de Abril o Conselho de Ministros decidiu reconhecer o valor patrimonial deste sítio mandado erigir no século XV por D. João II, sobre a estrutura de uma antiga bateria.
Para a vereadora do Planeamento e Obras, Amélia Pardal, agora “é necessário serem tomadas medidas de imediato para preservar” este baluarte. É que ao ser classificada como Monumento Nacional, a também conhecida como Torre de S. Sebastião da Caparica, em Porto Brandão, ganhou outra visibilidade e corre maiores riscos de ser vandalizada. “O Estado tem de intervir”, afirma a vereadora, uma vez que o edifício “é do Ministério das Finanças".
Aliás, no concelho de Almada existem algumas más experiências com património classificado que foi deixado sem a devida protecção. É o caso da Capela de S. Tomás de Aquino, também na Caparica, que depois de ter sido considerado como Imóvel de Interesse Público “foi vandalizado e roubaram os azulejos do altar”, conta Francisco Silva do Centro de Arqueologia de Almada. O mesmo alerta ao Estado é lançado pela presidente da Junta de Freguesia da Caparica. “Classificar um edifício como património nacional é também responsabilizar o seu proprietário para que o preserve”, afirma Teresa Coelho.