Unidade de Cuidados Continuados da Santa Casa em Cascais recebeu 50 doentes num ano

A Unidade de Cuidados Continuados e Paliativos da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa (SCML) em Cascais, que comemora o seu primeiro aniversário na quarta-feira, recebeu já cerca de 50 doentes.
A unidade de saúde, criada em 2012, surgiu para “contribuir para a melhoria e disponibilidade de cuidados continuados e paliativos, com necessidades crescentes e de grande carência no país”, afirmou hoje à Lusa a administradora e diretora clínica, Maria de Jesus Rodrigues.
A construção da Unidade Maria José Nogueira Pinto, nome em homenagem à antiga provedora que idealizou o projeto, foi conseguida através das “verbas provenientes de prémios dos jogos sociais não reclamados”, explicou a administradora.
A SCML financia na totalidade o seu funcionamento, tendo um “orçamento próprio mas ainda não estabilizado” devido às perspetivas futuras de expansão da unidade.
A “celebração de protocolos, tanto com entidades públicas, como com privadas” é um dos objetivos futuros, assim como uma maior divulgação à comunidade dos serviços disponibilizados.
Em relação ao trabalho já desenvolvido, Maria de Jesus Rodrigues avaliou de forma positiva este primeiro ano. Os cerca de 50 doentes foram assistidos por uma equipa de médicos, farmacêuticos, enfermeiros, um assistente social, terapeutas, psicólogos, entre outros profissionais de apoio.
A grande preocupação continua a ser “suprir as necessidades de utentes e das suas famílias numa área tão carenciada de cuidados”, referiu.
No âmbito das comemorações do seu primeiro ano, a SCML inaugura amanhã a capela desta unidade de saúde, às 11:00, na aldeia do Juso.