Utentes contra fecho nocturno das urgências

As Comissões de Utentes de Saúde da Península de Setúbal criticaram o eventual encerramento das urgências polivalentes do Hospital Garcia de Orta (HGO) no período nocturno e apelaram à luta das populações contra a concretização desta medida.

"Exortamos à mobilização das populações e dos utentes para que esta medida não vá para a frente", disse à agência Lusa Luísa Ramos, em representação das Comissões de Utentes da Saúde da Península de Setúbal.

O apelo surge na sequência das declarações do presidente da Administração Regional de Saúde, que admitiu a possibilidade de encerramento dos serviços de urgência polivalentes dos hospitais Garcia de Orta (Almada) e S. Francisco Xavier (Lisboa) durante o período nocturno.

De acordo com um comunicado das comissões de utentes, a assistência médica em situações agudas das populações da Península de Setúbal, designadamente de Almada, Seixal e Sesimbra, seria, assim, transferida para as urgências dos hospitais de Santa Maria e de São José, em Lisboa.

"Seria voltarmos à situação de antes do 25 de Abril e da construção do Garcia de Orta, em que os doentes tinham de se deslocar a Lisboa. É uma situação inaceitável", disse Luísa Ramos.

"Num quadro em que encerram os SAP (Serviços de Atendimento Permanente), os Centros de Saúde encerram às 20:00, se porventura há uma reorganização nas urgências do HGO, que é, neste momento, o único acesso para milhares de utentes que não têm médico de família, é um retrocesso escandaloso", considerou.